TEL: (54) 3231.7800 | (54) 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS) | (54) 9 8418.6298 (WHATSAPP)

Compartilhar

facebook twiter google plus linkedin

classificados

Six Interfaces Figueiró Super Util

Cidade

Juíza Greice Prataviera Grazziotin interdita Presídio Estadual de Vacaria

12/04/2018

Em documento assinado pela Juíza da 1ª vara criminal da Comarca de Vacaria, Dra. Greice Prataviera Grazziotin, o Presídio Estadual de Vacaria devido a superlotação de detentos, a partir desta quinta-feira, 12 de abril, está interditado. 
No parecer emitido pela Juíza Greice Pratavieira Grazziotin, os problemas iniciaram a partir de um incêndio ocorrido em 2014, quando o fogo consumiu totalmente as instalações do albergue, que abrigava detentos dos regimes aberto e semiaberto.

Segundo um parecer do mês de setembro de 2017, o relatório aponta diversas necessidades, entre elas a construção de muros externos, ampliação de galerias, construção de ala feminina, adequação de instalação elétrica, reforma na passarela e da guarita, com reforço da estrutura da parede do pátio interno.

Segundo a Juíza Greice Prataviera Grazziotin, a superlotação traz problemas de segurança para a sociedade, porque gera aumento da criminalidade, além da sensação geral de insegurança que uma casa prisional nessas condições gera no meio social.

A superlotação também está associada ao recolhimento de presos de outras comarcas.

A juíza afirma, ainda, em sua decisão, que a interdição causa transtornos à Administração Pública, mas é uma medida necessária para garantir o bom funcionamento da casa prisional.

A interdição parcial não permite mais o ingresso de novos detentos sejam eles provisórios ou definitivos, de outras comarcas e estados.

Hoje o Presídio conta com mais de 330 presos, sendo que a capacidade física suportaria cerca de 96 detentos. Para a juíza a capacidade máxima admitida é de até 250 presos.

A Juiza Greice Pratavieira Grazziotin solicita que deve ser oficiada a Susepe, para providenciar imediatamente, no recambiamento dos presos que se encontram recolhidos ao PEV por prisões decorrentes de outras cidades do estado e de outros Estados da Federação.

Também deve ser comunicado o Governador do Estado, o Secretário de Justiça e Segurança Pública, o Superintendente da Susepe, ao delegado Regional da Susepe e ao Administrador do Presidio Estadual de Vacaria para que tomem ciência desta decisão.

Também deve ser intimado o Ministério Público, ao presidente da OAB sub secção de Vacaria. Também deve ser comunicado ao Comando da Brigada Militar e as Autoridades Policiais da Comarca.

 

Fonte:

Compartilhar

facebook twiter google plus linkedin

Comente este post!