TEL: (54) 3231.7800 | (54) 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS) | (54) 9 8418.6298 (WHATSAPP)

Compartilhar

facebook twiter google plus linkedin

classificados

Six Interfaces Figueiró Super Util

Região

Manejo do campo nativo pode gerar autuações a produtores rurais

08/11/2017

 

 “Os produtores rurais estão perdendo autonomia para fazer qualquer tipo de intervenção na sua área chamada de campo”. As palavras são do engenheiro agrônomo Elton Junior de Souza, inspetor do CREAS. Isso tudo em função de uma lei federal que cria restrições para que ele possa trabalhar a terra, podendo acontecer somente com autorização do órgão ambiental.

 

Caso o produtor descumpra a lei, a autuação é de R$ 7 mil reais por hectare. Alguns produtores no estado já vêm sofrendo sanções por parte da FEPAM por causa dessa lei. Conforme Elton Junior, para o produtor poder mexer na terra, somente com projeto e laudo técnico dizendo se irá plantar pastagem, incorporar calcário, produzir verduras ou outras culturas.

 

Na região dos Campos de Cima da Serra, já foram autuadas 37 propriedades rurais e o montante das multas já chega a cerca de R$ de 3 bilhões de reais. Para criação de bovinos, há um limite de cabeças que pode ser colocado no campo para que não haja degradação da vegetação.

 

Essa lei entrou em vigência no ano de 2006 e foi regulamentada por decreto 6.660/2008. Tudo o que foi feito em termos de manejo de lá para cá é passível de autuação.

 

Eduardo Deluchi, engenheiro agrônomo e vice-presidente da Associação dos Engenheiros Agrônomos de Vacaria – ASAV, disse que essa medida vai impactar diretamente a produção do campo. Para isso já tem mantido contatos com deputados federais para mudança da lei, pois essa legislação não atende as necessidades da região.

 

 

Foto: Elton Junior (E) e Eduardo Deluchi

 

Fonte:Miro Santos/Rádio Esmeralda

Compartilhar

facebook twiter google plus linkedin

Comente este post!