Rádio Esmeralda

TEL: (54) 3231.7800 | (54) 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS) | (54) 9 8418.6298 (WHATSAPP)

Compartilhar

facebook twiter google plus linkedin

classificados

Six Interfaces Figueiró Super Util

Tecnologia

Seminário Internacional de Fruticultura acontece de 18 a 20 deste mês na Casa do Povo em Vacaria.

09/05/2016

A expectativa dos organizadores é de casa cheia, pois evento vai receber pesquisadores de todo o mundo .

 

Com o tema: Uso de ferramentas de precisão para aumento da produtividade e qualidade na produção de maçãs, de 18 a 20 deste mês, na Casa do Povo em Vacaria, será realizada a 3ª Edição do Seminário Internacional de Fruticultura que é também uma oportunidade para conhecer conceitos inovadores na produção de maçã.

 

O referido evento vai reunir pessoas de diversas partes do mundo durante os três dias da sua realização.

 

O Seminário tem como objetivo a atualização e formação de técnicos com competência, programar e implementar o uso de ferramentas com precisão, visando aumentar a produtividade e a qualidade dos pomares de maçãs, além de informar produtores sobre os desafios da cadeia produtiva.

O Seminário Internacional se consagra como uma oportunidade onde o público pode presenciar a apresentação de conceitos inovadores na produção de maçã, com confronto de ideias e conceitos de renomados pesquisadores em nível mundial.

 

Fabiano Mussatto, vice-presidente da Associação Gaúcha de Produtores de Maçã, Agapomi e um dos organizadores do evento afirma que a equipe organizadora já está nos acertos finais, cuidando da logística dos palestrantes, como passagens aéreas, transporte, captação de recursos:

“O Seminário já está todo encaminhado. Agora ficou mais a parte financeira e burocrática mesmo, para que as coisas andem a tempo. As inscrições estão acontecendo e pedimos para o pessoal acessar o site e ver que tem até uma data que as inscrições ficam mais baratas, depois, próximo ao evento fica mais caro. Então recomendamos que o pessoal acompanhe as inscrições e façam com antecedência para aproveitar o desconto que estamos dando”.

Mussatto complementa que durante os dias de Seminário, haverá expositores no local, já confirmados são sete, e ainda há mais dois espaços para comercialização:

“Teremos desde a parte de agroquímicos, como também conservadores de fruta, equipamentos, estamos tentando trazer os eletrônicos voltados para o campo, então com toda certeza os nove stands estarão lotados. O negócio agora é lotar a Casa do Povo. Acreditamos que movimentaremos mais de 400 pessoas, incluindo o pessoal que vai fazer as palestras e comissão organizadora” – garante Mussatto.

 

O organizador acredita que a comunidade vai começar a participar mais, tendo em vista a necessidade de inovação e atualização que as produções precisam.

Fabiano Mussatto observa que conforme vai chegando mais perto do evento, mais inscrições estarão confirmadas, devido ao intenso trabalho de divulgação, o que já vem mostrando resultados positivos.

“Além de que o evento tem uma parte interior, que não se restringe apenas aos dias de Seminário, mas podemos ver resultados, os frutos dele ficam por anos, dois, três, quatro, cinco anos, como observamos que aconteceu nos outros Seminários que já tivemos. A comunidade, o setor da maçã especialmente, até hoje recebe os frutos desse evento. Um forte exemplo é na parte de mecanização agrícola, e tecnologias que os outros dois seminários já trouxeram e somaram grandes fatores nas produções que temos aqui na região”.

 

Leandro Bortoluz, integrante da comissão organizadora do Seminário amplia:

“O empenho e dedicação para o Seminário Internacional de Fruticultura é grande, esse evento se deve mais à dra. Rosa Maria, que puxou a frente, e ergueu a ideia para que ele novamente acontecesse. Eu sempre digo que gostaria de ter a energia que ela despende, porque nós que somos mais novos somos contagiados por ela, para buscarmos essas tecnologias e trazermos novidades para os produtores de Vacaria e Região.  Nós estamos trazendo o Seminário, com temas atuais e polêmicos, como Sucessão Familiar, como uma nova modalidade de empenho onde os colaboradores começam a fazer parte dentro do seu negócio como é o caso do Rod Farrow, dos Estados Unidos. Estamos trazendo o Dr. Luiz Alberto Barcelos, pra falar sobre o agronegócio e a fruticultura no mundo, já que ele é um case de sucesso, ele é dono de uma agrícola famosa, um dos maiores exportadores de melões do mundo, então já no primeiro dia, na abertura já vai ser, eu acredito, que uma superação das expectativas de todos, em função dos temas escolhidos e das pessoas que vem ministrar as palestras para nós”. 

 

Bortoluz diz que essa edição diferente das outras, contará com muitos personagens estrangeiros:

“Nas outras mesclamos com brasileiros, mas esse ano, nós optamos por colocar o pessoal da pesquisa brasileira e todos da parte dos moderadores sendo brasileiros, e quase na sua totalidade, os palestrantes são estrangeiros, que vem dar o embasamento técnico cientifico na maior aprendizagem possível. É um evento que tem em seu conteúdo, dados atuais, momentos com tela, momento de sucessão familiar, programas fisiológicos de rusting, como implementar qualidades de maçã dentro da nossa indústria brasileira, e eu garanto para todos, que dentro da maior certeza, agregaremos muito para nossa indústria, e traremos novidades e curiosidades dentro da maior aprendizagem possível para nós técnicos e produtores”.  

 

A Proterra, junto com todo um contexto, está sempre junto com outras pessoas e entidades do mais alto gabarito que compõe a organização desse evento. Quando nós fizemos o primeiro evento, a ideia foi minha, mas nós tivemos o acolhimento da minha ideia por parte da Dr. Rosa e do Dr. Genor Mussatto, e a compra da ideia, por parte da EMBRAPA e da EPAGRI, então eu acho que quando todos compactuam para uma mesma direção e visualizam que nós precisamos  fazer com que a indústria se perpetue ao longo do tempo e para que isso aconteça ela tem que ter um conteúdo de primeira linha, faz com que nós busquemos essa amplitude em sua maneira geral, aos pontos mais lapidados possíveis e mais interessantes ao nível do conhecimento do produtor. Isso faz com que a gente tenha esse conhecimento ao alcance, e faz que a gente traga nomes de suma importância como os palestrantes que vão estar presentes no III Seminário Internacional de Fruticultura – pontua Bortoluz.

 

José Maria Reckziegel, presidente da Agapomi, sustenta que a entidade representa e trabalha visando o interesse da fruticultura, e participa desse evento principalmente como apoiador e promotor.

“A importância de um evento desses pode ser mensurada pelo reflexo que já podemos sentir pelas edições anteriores, onde foi sensível o avanço que tivemos no aspecto tecnológico em relação a nossa atividade, e essa difusão do conhecimento que acho que é o principal ganho que se tem nesse tipo de evento, onde é possível trazer novas tecnologias, novos conhecimentos, uma abordagem diferente sobre os problemas que estamos vivenciando e nessa vez não vai ser diferente, nós esperamos  com as escolhas que foram feitas com relação aos temas e palestrantes, que a gente possa  acrescentar e trazer muitas novidades, que com certeza vai se refletir e repercutir na nossa atividade no futuro. E assim só vai se transformar mais grandioso se as pessoas participarem. Para motivar uma pessoa na mudança, ela tem que sentir confiança naquela teoria, naquela exposição que vai ser feita, e isso a gente consegue trazendo expositores de gabarito como esses programados pra vir, e obviamente como produtor posso concordar ou discordar com muita coisa que for vista, mas o importante é que se crie um foro de discussão e a partir daí a gente crie a solução para os nosso problemas” – defende Zé Maria.

 

Por último, Giovane Zoldan, Engenheiro Agrônomo da Mussatto Consultoria, salientou que a expectativa é muito boa para o evento, de visualizar novas tecnologias, agregar novos conhecimentos aos produtores da fruticultura, principalmente no setor da maçã.

“Nas outras duas edições do evento vieram pessoas de todo lugar do Brasil, e tivemos a casa cheia, e nessa edição não vai ser diferente, por isso é importante que o povo participe, e os produtores se permitam ganhar conhecimento, para melhorarmos a fruticultura da região e o com certeza melhorar o município, esse é o objetivo”, finaliza ele.

Fonte:Adelar Gonçalves/Dep. Jornalismo e Arte & Fato Comunicação.

Compartilhar

facebook twiter google plus linkedin

Comente este post!