TEL: (54) 3231.7800 | (54) 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS) | (54) 9 8418.6298 (WHATSAPP)

Compartilhar

facebook twiter google plus linkedin

classificados

Six Interfaces Figueiró Super Util

Região

Inverno de 2014 foi o mais quente dos últimos oito anos

09/09/2014
O inverno termina em duas semanas, mas muita gente desconfia que ele sequer começou no Estado. Não houve neve, as geadas apareceram pouco e, conforme medições em diferentes cidades, os meses de junho, julho e agosto foram os mais quentes dos últimos oito anos. Se mal houve frio, calor não faltou. Em cinco dias, incluindo esta segunda-feira, a temperatura ultrapassou os 30ºC. Chegou a fazer 35,4ºC no mês passado em Novo Hamburgo, máxima típica de janeiro ou fevereiro. Em lugar dos casacos, foi um inverno para sair à rua de camiseta. É um anomalia sem relação com o aquecimento global, segundo o meteorologista Gilberto Diniz, do Centro de Pesquisas e Previsões Meteorológicas da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). — As condições normais do inverno incluem temperatura baixa e pouca precipitação. Neste ano, fez calor e choveu bastante — diz. Entre as possíveis causas do inverno de araque está um sistema de alta pressão que circundou o Estado e inibiu a entrada de frentes frias no território gaúcho. Além disso, massas de ar quente oriundas do norte alcançaram o pampa e formaram um bloqueio para a entrada do frio, de acordo com a meteorologista Fabiene Casamento, da Somar. O propalado inverno rigoroso dos gaúchos não mereceu a fama. A última vez que a média das temperaturas mínimas esteve tão elevada entre junho e agosto, em cidades como Porto Alegre, Caxias do Sul e Uruguaiana, foi em 2006. Na Capital, o momento mais frio do dia foi, em média, de 11,9ºC, 1,5 grau a mais do que no ano passado e apenas 0,4 grau abaixo de 2001, ano que teve um dos invernos mais quentes do último meio século. Em Uruguaiana, as mínimas deste ano foram, em média, três graus mais altas que as de 2007. Conforme Rogério Rezende, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o estranhamento se acentua porque o inverno passado, severo, ainda está na memória. — Houve vários dias com neve e muita geada em 2013, o que não observamos neste ano — destaca. De fato, os turistas que esperavam ver neve na Serra, quase uma tradição do inverno gaúcho, acabaram frustrados. Quem também se frustrou foi o setor têxtil, que vendeu menos blusões e casacos do que o previsto e precisou recorrer a liquidações para se livrar dos estoques. — Nosso medo é que tenha ficado muita mercadoria nas prateleiras — preocupa-se o presidente do Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem e Malharias da Região Nordeste, Carlos Araújo. Nas ruas, já é primavera No calendário, a primavera começa só no dia 22, mas nas ruas ela já é uma realidade, na forma de uma explosão de cores — com destaque para o roxo dos ipês. Segundo especialistas, o desabrochar é esperado para este período final de inverno, mas ganhou estímulo extra neste ano devido ao calor incomum. A engenheira florestal Clarice Glufke, da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul, afirma que a temperatura é um dos elementos que influenciam o ciclo dos vegetais: — A planta é estimulada por vários fatores, como a umidade e o tempo de exposição à luz. Mas como a temperatura não é constante, ela não é tão predominante quanto o comprimento do dia, por exemplo, que determina a quantidade de iluminação que o vegetal recebe — explica. Segundo a bióloga Leila Macias, professora de botânica da UFPel, árvores que costumam desabrochar no auge da primavera já estão floridas, e isso poderá ter consequências na hora de colher os frutos: — Pode ocorrer um descompasso entre as plantas e os polinizadores, que não estão presentes, já que o vegetal se adiantou no período de florescimento. Como resultado, é possível que tenhamos uma redução no número de frutos. Por ora, o que podemos esperar para as próximas semanas são avenidas e praças com uma variação cada vez maior de cores. — As azaleias já estão bem floridas também — diz Clarice. Quente e colorido, o inverno ainda traz aos gaúchos, em sua despedida, um gostinho tênue de frio. A temperatura pode chegar a 12ºC, na quinta-feira. Coisa pouca. A temperatura mínima registrada no Estado durante este inverno foi de -4ºC em Vacaria, na serra gaúcha. A previsão para a primavera é de normalidade, com precipitação levemente acima da média esperada para outubro. Previsão para os próximos dias Terça-feira: É verão em pleno inverno. O dia começa abafado. As mínimas ficam entre 17ºC e 20ºC na maior parte do Estado. As máximas devem superar os 30ºC. Uma frente fria pode avançar e causar chuvas no Chuí, inclusive com trovoadas e ventanias ocasionadas pelo contraste térmico. Quarta-feira: A frente fria avança e, ao encontrar o calor, intensifica as chuvas, especialmente na zona sul. Pode ocorrer temporal e vendaval de até 90km/h, além de descargas elétricas na Região Metropolitana. As temperaturas ficam entre 20ºC e 26ºC. Quinta-feira: A chuva persiste sobre quase todo o Estado, mas há aumento do frio no decorrer do dia. O céu permanece nublado, e as mínimas podem chegar aos 12ºC.
Fonte:ClicRBS

Compartilhar

facebook twiter google plus linkedin

Comente este post!