Rádio Esmeralda

TEL: (54) 3231.7800 | (54) 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS) | (54) 9 8418.6298 (WHATSAPP)

Compartilhar

facebook twiter google plus linkedin

classificados

Six Interfaces Figueiró Super Util

Policial

Justiça de Caxias acata pedido e mantém os suspeitos da morte de metalúrgico natural de Vacaria na cadeia

15/01/2015
A Justiça de Caxias do Sul deu parecer favorável ao pedido de prisão preventiva dos indiciados pela morte do gerente de produção, Ivanildo José Araldi, 43 anos que era natural de Vacaria. Roseli de Fátima Pedroso, esposa do metalúrgico, e Cleverson Alves de Moura foram indiciados pela Polícia Civil por homicídio qualificado por motivo fútil e ocultação de cadáver. O crime teria sido praticado mediante promessa de recompensa e teria sido cometido por Cleverson a mando de Roseli esposa do metalúrgico. Ivanildo José Araldi, desapareceu em 11 de dezembro, quando foi abordado no Loteamento Paiquerê, na região do Bairro São Vitor Cohab. O gerente de produção e o carro dele, uma EcoSport, foram levados. O carro apareceu dois dias depois, já depenado, no Bairro Scharlau, em São Leopoldo. O advogado de Roseli protocolou na ultima terça-feira, dia 13, junto a Justiça, o pedido de não decretação da prisão preventiva da suspeita. Ele justificou que Roseli não tem antecedentes criminais, e por isso ela não oferece risco ao processo se ficar em liberdade. Roseli havia sido presa no último dia 5, após Cleverson ter apontado o envolvimento dela no crime. De acordo com o Juiz, Daniel de Souza Fleury a custódia dos indiciados é necessária para assegurar a não interferência ou influencia às testemunhas. Ele destaca ainda, que o crime foi praticado com o auxílio de outras pessoas ainda não localizadas. Assim, a liberdade dos indiciados pode prejudicar o andamento das investigações.
Fonte:Adelar Gonçalves e Juliano Nunes/Dep. Jornalismo

Compartilhar

facebook twiter google plus linkedin

Galeria

Comente este post!