Rádio Esmeralda

TEL: (54) 3231.7800 | (54) 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS) | (54) 9 8418.6298 (WHATSAPP)

Compartilhar

facebook twiter google plus linkedin

classificados

Six Interfaces Figueiró Super Util

Região

Morre Ciro de Quadros, médico gaúcho referência no combate à pólio

30/05/2014
Reconhecido epidemiologista em nível mundial, o gaúcho Ciro de Quadros morreu em casa, em Washington, na quarta-feira, aos 74 anos. Quadros residia nos Estados Unidos há cerca de 30 anos e foi um dos líderes da campanha mundial pela erradicação da poliomielite. O médico recebeu importantes condecorações pelo seu trabalho de combate a doenças infecciosas, como o Prêmio Fundação BBVA Fronteiras do Conhecimento, entregue na Espanha, em 2012, a honraria da Ordem do Rio Branco, conferida pelo governo brasileiro, em 1999, e o título Herói da Saúde Pública das Américas, pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) e Organização Mundial da Saúde (OMS), neste ano. Trajetória mostra atuação internacional Natural de Rio Pardo, Quadros nasceu em 1940. Estudou no Colégio Anchieta, em Porto Alegre, e integrou a primeira turma da Faculdade Católica de Medicina – a atual Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre –, formando-se em 1966. O médico gaúcho trabalhou com saúde comunitária em regiões pobres do Brasil e participou da criação do primeiro Centro Nacional de Epidemiologia. A convite da OMS, assumiu a chefia do programa de erradicação da varíola na Etiópia, onde atuou entre 1971 e 1976. Em 1977, foi para a Opas, nos EUA, e dirigiu a Divisão de Vacinas e Imunização. Nos últimos anos, ele foi vice-presidente do Sabin Vaccine Institute. Conforme o ex-colega de faculdade e amigo Flávio Pinto, Quadros esbanjava simplicidade, espontaneidade e simpatia. Mesmo sabendo que sofria de carcinoma no pâncreas, o médico exerceu suas atividades e viajou a vários países até três semanas atrás. – Perde-se um grande cientista, preocupado com a equidade social e que lutou para que todos os países se organizassem na prevenção de doenças através de programas de vacinação – ressalta Flávio.
Fonte:ClicRBS

Compartilhar

facebook twiter google plus linkedin

Comente este post!