TEL: (54) 3231.7800 | (54) 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS) | (54) 9 8418.6298 (WHATSAPP)

Compartilhar

facebook twiter google plus linkedin

classificados

Six Interfaces Figueiró Super Util

Cidade

Reunião define valores do novo piso dos assalariados rurais

08/08/2014
O quarto encontro que debateu o reajuste do valor do salário mínimo do assalariado rural de Vacaria e Muitos Capões aconteceu na sede do STR e contou com a Comissão dos Assalariados Rurais, Fetag-RS, STR e Agapomi. Ficando assim o piso dos assalariados rurais: R$ 883,00 e reposição de 7,8% para o trabalhador que recebe acima do piso da categoria. A negociação salarial iniciou com a proposta do STR de elevar o piso para R$ 890,00 mais 8,5% de reposição, a Agapomi entregou contraproposta de R$ 877,80 reais e reposição 7,5% a partir desse ponto houve a ampliação das discussões com o intuído de fechar a negociação, onde o STR apresentou novos números, trazendo a proposta para R$ 885,00 e reposição 8,33% a classe patronal fez nova contraproposta apresentando R$ 880,00 e reposição 7.7%. Na sucessão de propostas o STR mais uma vez numa demonstração de boa vontade apresentou como uma última alternativa o valor de R$ 883,00 mais reposição de 8% onde a Agapomi aceitou os R$883,00, mas com a reposição de 7,75% que não foi aceita pelo STR e a entidade que defende os trabalhadores apresentou 7,8% de reposição que foi aceita pela patronal. O presidente da Agapomi José Maria Reckiegel observa que o acordo ficou dentro do possível e justo para o momento, ele observa que os valores acertados atende as expectativas dos trabalhadores e patrões. Para o vice-presidente da Fetag-RS Nelson Wild o piso fica dentro da média das convenções realizadas no Rio Grande do Sul, ele observa que os percentuais foram ao máximo, Nelson destaca que todo empenho foi dado para que se chegasse até esses valores. Ele observa que o salário assim fica atualizado e chega perto do que seria o ideal para o trabalhador especialmente o rural. O Presidente do STR de Vacaria e Muitos Capões Sérgio Poletto, avalia como positiva o final da negociação salarial, entende que ainda não é o ideal, e agora vai fiscalizar para que as empresas cumpram o que foi decidido. Os novos valores são retroativos ao dia 01 de julho. O acordo coletivo tem validade até o dia 01 de julho de 2015
Fonte:Eleandro Bonesi

Compartilhar

facebook twiter google plus linkedin

Galeria

Comente este post!