TEL: (54) 3231.7800 | (54) 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS) | (54) 9 8418.6298 (WHATSAPP)

Compartilhar

facebook twiter google plus linkedin

classificados

Six Interfaces Figueiró Super Util

Cidade

'Só vou acreditar quando ver os corpos deles', diz filho de casal de Vacaria morto em acidente em Santa Catarina

01/01/2015
A família de Vacaria que morreu em um acidente de trânsito na SC-285, no município de Timbé do Sul, em Santa Catarina, passaria pela primeira vez o Ano Novo na praia. O casal André Luis Weber, 45 anos, Leneci de Fátima da Silva, 48, e o filho Luis Gustavo Silva Weber, nove, costumavam ir ao Balneário Arroio do Silva. A praia seria pela primeira vez o destino da família em um Réveillon. A sobrinha do casal, Caliandra Vitória da Silva Barbosa, 11 anos, foi convidada a viajar com os parentes. — Há três meses eles se programavam para essa viagem. Trabalharam o ano todo para pagar as contas e sobrar dinheiro para viajar. Os dois (André e Leneci) gostavam muito de praia. Estavam felizes, iam descansar. Agora, vão descansar para sempre — lamenta o filho do casal, Felipe da Silva Weber, 18 anos. Na quarta, Felipe havia sido comunicado por um amigo que o carro da família tinha se envolvido em um acidente. Depois, um familiar avisou da morte da mãe. Apenas horas depois, por notícias na internet, ele ficou sabendo que toda a família havia morrido. Inicialmente, Felipe e a esposa também viajariam com a família para o litoral catarinense, mas desistiram da viagem por questões financeiras. O jovem mora em uma casa nos fundos do terreno da residência dos pais e do irmão. Almoçava todo dia com a família. Quando chegava do trabalho, sempre passava na moradia dos familiares para saber como estavam. Todo sábado, ele e o pai jogavam futebol no time da firma onde André, carregador há seis anos, trabalhava. Felipe era parceiro do irmão, Luis Gustavo, em jogos de videogame. O menino pedia ao irmão mais velho para ajudá-lo nas fases mais difíceis dos jogos. Nos últimos dias os games foram deixados de lado: a nova diversão de Luis Gustavo era a bicicleta de marcha que ganhou dos pais de presente de Natal. À espera do resgate dos corpos dos pais - no dia anterior foram resgatados os das duas crianças - Felipe diz que ainda não consegue crer no acidente que matou a família. — Eu só vou acreditar quando ver os corpos deles. Vai ser difícil chegar em casa e não encontrá-los. Isso vai ficar marcado para sempre. A família tinha planos para 2015: Leneci, que trabalhava em uma empresa que compra e vende maças, queria reformar a cozinha e o telhado da casa. Foto: Brigada Militar São José dos Ausentes
Fonte:Pioneiro

Compartilhar

facebook twiter google plus linkedin

Comente este post!